Posts Tagged ‘música’

# melhor que o original 2

26/04/2011

Um dia desses fiz um post sobre músicas que ficaram muito melhores em outras versões que nas versões originais. Hoje minha amiga Emili me mostrou a música original de uma versão que todos com certeza conhecem, mas não sei se todos sabem de onde ela veio. Será que alguém vai ficar surpreso como eu fiquei?! Ou só sou eu que tô por fora mesmo?

O vídeo é tão brega quanto a música!

E agora, a original….

# música do dia

14/03/2011

que dueto é esse?

# pequenos momentos de felicidade

04/02/2011

E longe, lá longe eu começo a escutar uma música. Parece que a canção está à quilometros, mas vem do outro lado da rua. Será na loja de lingeries que eu paquerava toda vez que esperava o ônibus pra ir ao trabalho? Mas a loja não está com nenhuma porta aberta e pra escutar a música de onde eu estou o som deveria estar estrondando na loja.

E também não é o tipo de música que se toca pra vender lingerie. Ou até é. Música ambiente, MPB, acho que é isso que toca. Mas se a loja fosse minha eu tocaria de Portishead pra cima. Acho que ia vender bem. Mas definitivamente o som não vem da loja, só há uma luz acesa e dá pra ver que já estão se organizando pra fechar.

Acho que vem desse prédio. Sim, realmente vem desse prédio. 3º andar. A rua está muito barulhenta, ouço a música mas não consigo identificar direito. Mas essa melodia eu conheço, e adoro. Não sei o nome, não sei cantar, mas adoro, sei que adoro. Por sinal, faz tempo que não ouço essa canção. Gosto dessas sensações de re-descobertas e pensamentos que te assaltam às sete da noite numa parada de ônibus. Essas memórias ficam guardadas em pequenas caixas e gavetas no cérebro e felizmente se abrem como os pop-ups dos livros infantis para nos trazer uma dose de felicidade e alegria, que a princípio seriam momentâneos mas que perduram durante várias horas do dia até a cabeça ser novamente tomada pelas preocupações da rotina. Mas no fundo, no fundo aquele prazer já mudou o humor do dia.

E a música? Acho que é de Chico. É acho, não tenho certeza. Mal escuto a voz na canção, mas essa melodia…é, acho que é de Chico. Se ao menos eu pudesse escutá-la melhor… Mas só a escuto quebrada em meio ao barulho dos carros em alta velocidade, às freadas dos ônibus parando para que os passageiros desçam ou subam e modifiquem seus percursos, às conversas das pessoas, aos latidos dos cachorros. Só me resta a migalha da música, suficiente pra sorrir sozinha em meio à multidão, mas a migalha. Só percebo que mudou a canção porque o barulho da rua deu uma trégua e escuto “meu melhor amigo é meu violão…” Ah, também gosto dessa. Chico, definitivamente Chico.

Uma menina começa a cantar funk na rua, bem alto. Tão alto que todas as pessoas começaram a olhar pra ela. Uma senhora atravessa a rua mal olhando para o trânsito entrertida com as pessoas do outro lado da calçada que conversavam com ela há pouco. Quando para em sua calçada dispara umas três vezes “Xau Felipe” e passa mais alguns segundos acenando pra criança e olhando para o lado de lá. O barulho continua intenso, as pessoas continuam falando, a música acabou, meu ônibus chegou e a única coisa em que consigo pensar é: “ainda bem que esqueci meu ipod…”

 

melhor que o original

01/02/2011

Desde que o mundo é mundo e que música é música que existe os covers, as versões e as traduções. Algumas ficam boas, algumas ficam ruins e outras ficam péssimas. Algumas você só troca 6 por meia dúzia, a versão fica tão boa quanto à original, como High and Dry do Radiohead que fica tão deliciosa na voz de Jorge Drexler e Jamie Cullum. Mas e quando se trata de música pop chiclete que só serve pra dançar loucamente numa Sem Loção da vida e de repente ela vira aquela música pra se levar pra vida toda? Preconceito com os cantores pops e babação com os cantores cults? Nem vou entrar nesse tipo de discussão (até porque escuto os dois mesmo e pronto! mas confesso que o primeiro escuto mais naqueles dias de faxina ou em qualquer festchenha, enquanto o segundo serve pra escutar enquanto você estuda, escreve ou pensa na vida), só quero mesmo mostrar algumas músicas que ficam completamente diferentes das versões originais quando gravadas em outras vozes.

Britney Spears x Yael Naim = Toxic

Britney Spears x Franz Ferdinand = Womanizer

Rihanna x Jamie Cullum = Don’t Stop the Music

Um projeto que eu acho legal e que todo mundo já deve conhecer é o Pomplamoose, é um dupla formada por Jack Conte e Nataly Dawn que ficou famosa no youtube justamente por fazerem versões de músicas muito conhecidas. Acho bem bacana o projeto deles, mas melhor ainda é o trabalho autoral de ambos.  Vale conferir.

Beyonce x Pomplamoose = Single Ladies

Pomplamoose: myspace/ youtube / twitter

ps: me recusei a colocar as versões de Baba Baby com Kelly Key e Maria Gadú, mesmo assim é um bom exemplo de completa mudança estrutural na música.

 

 

# a tattoo que eu queria ter feito

11/01/2011

Algumas pequenas frases conseguem dizer tanto com tão pouco, e mesmo preferindo desenhos à letras em tattoos essas aqui eu queria ter feito.

Pra acompanhar essa última tattoo indico aqui duas músicas:

Nõa consegui uma versão dele cantando ou um clipe oficial, então vai esse mesmo com a música de fundo e fotos (=/) adicionadas por alguém.

E por último, o essencial:

E uma música de que diz tudo.