Posts Tagged ‘chico buarque’

# pequenos momentos de felicidade

04/02/2011

E longe, lá longe eu começo a escutar uma música. Parece que a canção está à quilometros, mas vem do outro lado da rua. Será na loja de lingeries que eu paquerava toda vez que esperava o ônibus pra ir ao trabalho? Mas a loja não está com nenhuma porta aberta e pra escutar a música de onde eu estou o som deveria estar estrondando na loja.

E também não é o tipo de música que se toca pra vender lingerie. Ou até é. Música ambiente, MPB, acho que é isso que toca. Mas se a loja fosse minha eu tocaria de Portishead pra cima. Acho que ia vender bem. Mas definitivamente o som não vem da loja, só há uma luz acesa e dá pra ver que já estão se organizando pra fechar.

Acho que vem desse prédio. Sim, realmente vem desse prédio. 3º andar. A rua está muito barulhenta, ouço a música mas não consigo identificar direito. Mas essa melodia eu conheço, e adoro. Não sei o nome, não sei cantar, mas adoro, sei que adoro. Por sinal, faz tempo que não ouço essa canção. Gosto dessas sensações de re-descobertas e pensamentos que te assaltam às sete da noite numa parada de ônibus. Essas memórias ficam guardadas em pequenas caixas e gavetas no cérebro e felizmente se abrem como os pop-ups dos livros infantis para nos trazer uma dose de felicidade e alegria, que a princípio seriam momentâneos mas que perduram durante várias horas do dia até a cabeça ser novamente tomada pelas preocupações da rotina. Mas no fundo, no fundo aquele prazer já mudou o humor do dia.

E a música? Acho que é de Chico. É acho, não tenho certeza. Mal escuto a voz na canção, mas essa melodia…é, acho que é de Chico. Se ao menos eu pudesse escutá-la melhor… Mas só a escuto quebrada em meio ao barulho dos carros em alta velocidade, às freadas dos ônibus parando para que os passageiros desçam ou subam e modifiquem seus percursos, às conversas das pessoas, aos latidos dos cachorros. Só me resta a migalha da música, suficiente pra sorrir sozinha em meio à multidão, mas a migalha. Só percebo que mudou a canção porque o barulho da rua deu uma trégua e escuto “meu melhor amigo é meu violão…” Ah, também gosto dessa. Chico, definitivamente Chico.

Uma menina começa a cantar funk na rua, bem alto. Tão alto que todas as pessoas começaram a olhar pra ela. Uma senhora atravessa a rua mal olhando para o trânsito entrertida com as pessoas do outro lado da calçada que conversavam com ela há pouco. Quando para em sua calçada dispara umas três vezes “Xau Felipe” e passa mais alguns segundos acenando pra criança e olhando para o lado de lá. O barulho continua intenso, as pessoas continuam falando, a música acabou, meu ônibus chegou e a única coisa em que consigo pensar é: “ainda bem que esqueci meu ipod…”

 

Anúncios

Os homens dos sonhos dos meus ouvidos

24/06/2010

Quando eu tinha 12, 13 anos eu era super fã dos Hanson. Depois por influência de uma prima acabei virando fã dos Backstreet Boys também. Colecionava revistas, gravava clipes (velho VHS) e passava a tarde com as amigas escutando eles, falando deles e sonhando com eles. Dos Hanson o meu preferido (e de todas as garotas do planeta) era o Taylor, mas dos Backstreet Boys era o mala do A.J. Ninguém gostava dele, tadinho, só porque era mala.

Claro que a noção musical aí ia pro espaço, afinal eu só pensava em casar com A.J ou Taylor (ah, Thierry Figueira também), apesar de ter a desculpa (e sou firme até hoje) que os Hanson’s tocam muito (e até hoje viu?! um dia desse com Bella e Lina Carolipa em SP, ficamos vendo clipes deles e confirmamos, eles continuam tocando, e melhoraram muitooooooo no quesito beleza. Confesso que também ficamos babando como adolescentes!)

A adolescência passou, e com ela meus desvios musicais (sim, eu sou uma ex-drogada…e nem queira saber do que eu gostava. Apanhei do namorado – brincadeira gente, ele só ameaçou me abandonar – um dia desse porque fiquei cantando as músicas do Molejão na parada de ônibus, e é incrivel como até hoje eu sei todas. Why Jesus why?????). E agora eu acho que escuto música boa!

Mas os sonhos do casamento ainda rondam minha cabeça, só que dessa vez não é pela beleza (ah..alguns eu acho bonito mesmo, apesar dos protestos das minhas amigas que dizem que eu só gosto de homem feio e tenho um gosto meio duvidoso. Elas sempre me perguntam se a pessoa é bonita no “parâmetro Mariana” ou no “mundo normal”. Eu nem ligo, acho bonito e pronto!) e sim pela música, pela voz e por imaginar tudo que esses homens devem falar no ouvido de uma mulher. Jesui!

E empolgada que estou porque finalmente terminei de ler High Fidelity (Alta Fidelidade – Nick Horby) fiz um Top 5 (não, não é influência do CQC) dos homens dos sonhos dos meus ouvidos.

TOP 5 – Homens dos sonhos dos meus ouvidos

5) Curumin – esse é o malandro dos 5. É o conquistador, com sotaque paulistano arrasa quando começa a cantar “vem menina, não faz assim comigo não…”

4) Da Silva – apesar do sobrenome completamente brasileiro, Da Silva é um cantor francês, levou o quarto lugar mais pela sua voz que pelas suas músicas (que são maravilhosas, mas não lembro de nenhuma que faça suspirar não. digo no sentido conquistador, porque no quesito vida tem e muitas)

3) Vinicius de Moraes / Chico Buarque – me perdõem, mas não consegui desempatar, e nem preciso explicar o porquê. Qual mulher nunca sonhou ser a musa de Chico Buarque? Tenho certeza que todas, ao menos por uma noite…(bem, eu já consegui – nos meus sonhos- com que Chico fosse meu orientador do mestrado, e ele ainda pegava o violão e cantava pra mim…). Vinicius de Moraes com 20, 30, 40, 50, 60 anos; 1 dia, 1 mês, 9 anos, nem me importaria com o tempo de duração do romance, até porque “…que não seja imortal, posto que é chama. Mas que seja infinito enquanto dure”

2) Lenine – se fosse por beleza Lenine ocuparia o 1 lugar no meu Top Five (sim, eu acho ele lindo) mas como os critérios não são esses, ele acaba levando o segundo lugar. Apesar que demorei bastante para decidir esse pódio, mas para saber o porque ele está aqui basta escutar Todas elas juntas num só ser. Sem mais comentários!

1) Jorge Drexler – porque ele faz rir, faz curar, faz sentir desejo, faz pensar, e ainda diz que de tudo que existe na vida só lhe importa duas coisas: você e o seu violão! precisa de mais alguma coisa?