Posts Tagged ‘amor’

eu não quero voltar sozinho

31/01/2011

 

curta lindo, tuitado por @eduardodias_

Anúncios

Feliz Natal!

24/12/2010

Mafalda sempre sábia. O espírito de Natal (esse que todo mundo fica de coração mole, desejando coisas boas e fazendo doações aos necessitados) é o mais importante do Natal e não o presente caro que você gostaria de receber do seu pai, namorado, irmão e etc. E que esse espírito permaneça em nossas vidas todos os dias.

Muita paz, amor e luz!

o que é amor para Caio

22/12/2010
Eu coloquei esse título porque Caio (personagem desse post) mesmo sem querer respondeu a pergunta que Dani Arrais (do blog Don’t Touch my Moleskine) faz à um monte de gente em sua seção ‘o que é amor pra você hoje’. Li isso no facebook de Priscilla Buhr e não tive como suspirar, rir e pedir à ela pra postar aqui. Acho super divertido (ou bizarro) histórias de ônibus (ainda faço um post sobre o que o ônibus representa na vida da gente, pobres mortais. vivo filosofando sobre isso), conversas estranhas com desconhecidos e etc, e esse é mais um desses casos.
Relato de Pri:
Tô eu lá no ônibus, morrendo de calor, com o habitual fone de ouvido.. até que um pirrraia com cara de nerd esperto senta do meu lado.. e começa a puxar um papo..

Ele – Licença, eu sei que quem usa fone de ouvido no ônibus não tá muito a fim … de conversa, mas é que eu sempre fico muito curioso pra saber o que as pessoas tão ouvindo. será que você podia me dizer que música tá tocando agora? não te aperreio mais, prometo.

Eu (com aquela cara de ‘pronto.. mais um doido no meu caminho’) – tô ouvindo Homem Velho de Cidadão instigado, uma banda de Fortaleza.

Ele (super eufórico) – eu não acredito!!! eu gosto muito dessa banda.. e dessa música!! eu sou de Fortaleza, inclusive, vim morar aqui faz 4 anos. que doidisse encontrar alguém ouvindo Cidadão Instigado. sempre que pergunto isso pras pessoas elas tão ouvindo as músicas mais bregas que existem na terra.

Eu (com a maior cara de espanto do mundo) – sério que tu curte Cidadão? é uma das minhas bandas favoritas..

Ele (cada vez mais eufórico) – gosto demais, Fernando Catatau é muito bom! gosto muito das músicas deles, das letras também. meus colegas me acham super estranho por causa das músicas que eu ouço, as meninas da minha sala me chamam esquisitinho.. mas eu prefiro ser estranho mesmo do que ficar ouvindo aqueles rock emo colorido que eles curtem. aquilo é muito ruim! a galera diz que essas bandas emo falam de amor, mas acho que eles não sabem o que é amor não.. Fernando Catatau sabe falar de amor.. e fala como ninguém. eu já me apaixonei algumas vezes, sabe.. mas nunca amei ninguém não.. amor de verdade.. que nem os que a gente sente nas músicas de Cidadão.. eu nunca senti não.. mas um dia eu vou encontrar uma menina que eu vou amar muito.. eu não tenho pressa pra encontrar essa menina não.. eu sou muito novo ainda.. mas quando eu conhecer essa menina, vou saber que é ela o amor da minha vida.. e ela vai ter que gostar de Cidadão né?

Eu (catatônica) – tu tem quantos anos?

Ele – 12!

Segunda-feira fui tomar uma cerva com Pri após o trabalho e além de falar sobre fotografia (claro) passamos mais de 1 hora divagando sobre Caio e ela me contou mais detalhes dessa conversa, isso aí foi o mínimo do que esse garoto falou. Agora diga se ele não é um amor.


Ontem, pensando no que Caio havia falado sobre o amor, fiquei escutando Cidadão Instigado. Principalmente essa música aí, que por coincidência foi a mesma que Pri colocou no face (e eu não tinha visto) em homenagem à Caio.
Aproveita e conhece mais sobre Cidadão Instigado: my space / site / twitter

uma inspiração muda tudo

16/11/2010

 

# pequenos momentos de felicidade

11/11/2010

 

o cheiro do sabonete ainda estava na pele, mesmo depois de descer a ladeira debaixo de uns chuviscos que perigavam virar chuva. ela notou o cheiro ao tentar tirar um cravinho do seu rosto e parou porque sentiu o quanto sua pele estava macia. aproximou seu rosto do dele e inspirou forte, como se estivesse segurando o ar e parando de respirar nas vezes que fotografa sem tripé e com a velocidade super baixa. ás vezes treme, ás vezes não. dessa vez tremeu e guardou aquele cheiro na memória, assim como tem o do perfume guardado. parou de pensar no cheiro porque lembrou do cravo que estava olhando e a vontade de tirar era tanta que forçou somente com uma unha para que o artrópode saisse (acha feio, nojento e sente vergonha de tirar cravinhos em público, por mais que lhe dê aquela vontade. já entre quatro paredes pode tudo). ficou puxando o cravinho com a unha com a desculpa de que era um pelinho, mas ele sabia o que ela tentava fazer. e nesse instante foi chamada de chata. e isso era felicidade. mas teve que acordar pra não perder a parada. correu, pegou o outro ônibus para chegar ao trabalho. chegando lá estava faltando energia, e a impossibilidade de ligar o computador imediatamente estendeu os pequenos momentos de felicidade no pensamento. ganhou o dia que acabara de começar.

foto:  Jesh Derox

ovo frito é amor

02/11/2010

Aqui em casa é assim: cada um gosta do ovo frito de uma maneira diferente. Quando se está com preguiça de fazer e a outra pessoa está na beira do fogão, come-se de qualquer jeito (mentira, só meu pai gosta do ovo sem ser mexido e com a gema mole), mas quando bate aquela vontade de comer ovos mexidos no café da manhã só o seu mesmo é que vai satisfazer (ainda mais com pãozinho assado).

Gosto da maneira como meu irmão faz os ovos, já não gosto os da minha mãe (taí, descobri uma única coisa que eu não gosto feita pela chefa – além dos meus desgostos culinários por vida). Ela, por sua vez, não gosta do jeito que meu irmão faz “é muito mole” diz ela. “é muito seco” diz eu quando ela pergunta se eu quero ovos no café da manhã (mãe sempre mima né?!).

Um ovo frito não dá trabalho nenhum de fazer, mas o horário da manhã (quando se come normamelmente o prato) é o que eu menos tenho disposição, e quando eu pergunto se alguém quer essa iguaria é porque eu  realmente estou disposta a fazer.

Acho que todo ato culinário para o outro é feito com amor. Os detalhes, a preparação do prato, o tempero, a forma de apresentar o quitute, tudo é pensado milimetricamente para que aquele gesto (além da comida) seja motivo de bolhinhas de alegria ou suspiros.

Ao preparar um almoço de domingo, quitutes pra receber os amigos em casa, um jantar romântico, fica bem claro que existe toda uma preparação pra o acontecimento. Até fazer uma marmita de alguém exige esse preparo, pois no fim você vai desejar que a pessoa em seu momento de intervalo do labor, pense o quanto você dedicou seu tempo em preparar aquela comidinha gostosa pra que o dia cansativo do trabalho fique mais aconchegante.

Mas como enxergar o amor num prato tão simples como o ovo frito? Me deparei com esse pensamento quando vi que pra mim importa em saber como a pessoa gosta do seu ovo frito, que preparar esse simples prato de uma maneira única pra cada pessoa, mesmo ele tendo tantas forma de preparar, é um ato de amor. Pensei nisso porque tava fazendo um sanduíche pro meu pai e pro namorado e fui perguntar se eles queriam ovo, e após a resposta positiva dos dois , pensei que nem precisava perguntar como eles gostariam que fosse o ovo porque eu já sabia.

E fui preparar dois ovos estalados com a gema inteira e um pouco mole, com muito amor.

 

ovo frito é amor

 

o amor é importante. porra

24/08/2010

veio daqui: palavras em vermelho